O Desemprego...


Nesta Revolução Tecnológica extintora de postos de trabalho e, ao mesmo tempo, credora de profissionais super-habilitados, acaba-se por tornar fértil o terreno para o aparecimento de formas de trabalhos precários (empresas alimentadas especialmente pela mais-valia usurpada aos seus trabalhadores e uma economia informal). Tais fórmulas, sem dúvida alguma representam uma optimização empresarial, mas, ao mesmo tempo, uma fórmula de fomento à exploração daqueles que vendem a sua força laboral. Os avanços tecnológicos vêm mudando também a apresentação da subordinação jurídica do empregado e vem aumentando a sua sujeição económica. Diante de um mercado de trabalho saturado, e como se não bastasse, assistindo à extinção de postos de serviço, os empregados sujeitam-se às regras, aos trabalhos existentes ou, até mesmo à sua falta. O empregador continua a ter o poder de empregar, porém, enquanto o poder se mantém, o dever diminui, pois cada vez procura-se empregar menos. Os empregadores querem menos encargos, os trabalhadores querem garantias. Estas situações, aliadas ao fraco investimento e à pobre economia de um país, originam milhares de desempregados todos os anos.



Em portugal

Segundo as Previsões Económicas da Comissão Europeia (CE), a taxa de desemprego em Portugal vai continuar a crescer, pelo menos, até 2008, altura em que atingirá os 7,8%, ou seja, mais de 429,9 mil indivíduos desempregados. Esta situação deve-se essencialmente aos cortes de postos de trabalho no sector da indústria cujas filiais abandonam este país de forma a procurar mão-de-obra mais barata, como por exemplo a existente nos países de Leste.
Numa situação extrema, mas possível de acontecer, podemos pensar que poderá instalar-se o caos económico junto de alguns milhares de portugueses e imigrantes em território nacional:

De seguida vamos encontrar algumas sugestões que deverá ponderar quando for à procura de um emprego.

NUNCA SE ESQUEÇA!
O desemprego define-se assim como a medida da força de trabalho disponível que se encontra sem emprego. Este fenómeno é observado principalmente em países subdesenvolvidos cujas economias não conseguem suprimir o crescimento populacional.